O Poder das Escolhas: Moldando Nossas Percepções

Por Allan Diniz

Em meio às vicissitudes da vida, nos deparamos constantemente com escolhas que, por vezes, nos levam a resultados inesperados. Sejam eles bons ou nem tão bons assim, a forma como os percebemos muitas vezes é uma questão de perspectiva.

Imagine-se em uma tarde ensolarada, imerso em um ambiente de aprendizado e networking, repleto de indivíduos ávidos por novos conhecimentos e técnicas de vendas e relacionamento. Durante uma das atividades, você se depara com uma oportunidade de trabalho que não esperava. A sensação de ter feito a escolha certa é inegável.

Por outro lado, considere a mesma situação, o mesmo ambiente, o mesmo desfecho, porém com uma percepção diferente. Você conquista uma oportunidade de trabalho, mas sentimentos de despreparo e autocrítica começam a surgir. “Não estou pronto”, “Não vou conseguir”, “Ainda não aprendi tudo”. São vozes internas que ecoam em nossa mente, moldando nossa visão do que é sucesso ou fracasso.

Diante disso, surge uma pergunta crucial: você está ciente das respostas automáticas que dá a si mesmo? Ao avaliar seus padrões de comportamento, você pode perceber como suas reações moldam suas percepções. Por exemplo, diante de um elogio, você tende a minimizá-lo com frases como “Não é tudo isso” ou “São seus olhos”? Ou você consegue simplesmente agradecer e apreciar a perspectiva do outro?

Hoje, convido você a refletir sobre suas escolhas e as percepções que as acompanham. Reconheça seus padrões de pensamento e questione se eles estão realmente alinhados com seus objetivos e valores. Ao fazer isso, você pode começar a moldar suas escolhas de forma mais consciente e construtiva, criando uma trajetória de vida mais alinhada com suas aspirações mais profundas.

No fim das contas, são nossas escolhas e a forma como as percebemos que moldam nossa jornada e definem quem somos. Que cada escolha seja uma oportunidade de crescimento e autoconhecimento, guiando-nos em direção a uma vida plena e significativa.